burden of diseaseNo dia 20 de julho foi publicado no periódico The Lancet uma análise do Global Burden of Disease Study 2016 no Brasil, um grande estudo que identificou o impacto das principais doenças no país. A análise aponta que desde 1990 até os dias atuais, os principais causadores de incapacidade no país são a dor lombar e a dor cervical. Além disso, o artigo aponta que em 26 anos, a quantidade de anos vividos com incapacidade devido a estas duas dores aumentou em 79,7% em média.

Uma possível reflexão a respeito do artigo é pensarmos por que com todos os avanços tecnológicos da medicina, a incapacidade provocada por dores lombares e cervicais aumentou. Uma possível resposta está relacionada com o grande desconhecimento que ainda existe na população em geral e nos profissionais de saúde a respeito do tratamento específico de casos de dor e dos recursos mais indicados para proporcionar aumento da qualidade de vida e diminuição da incapacidade para esses pacientes. Medicina Intervencionista da Dor, fisioterapia especializada, psicologia: são muitos os recursos a serem empregados para este fim. É necessário ampliarmos o conhecimento sobre o tema Brasil afora. Esta é uma das missões do Singular.

O Global Burden of Disease é um programa global abrangente para identificar a mortalidade e o nível de incapacidade relacionado a doenças, lesões e fatores de risco. Trata-se de uma colaboração internacional que envolve 1800 pesquisadores de 127 países, financiado pela fundação Bill e Melinda Gates.

Para acessar o artigo, clique no link: https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S0140-6736%2818%2931221-2

  • Mari

    Mari

    "Já tinha consultado inúmeros médicos sem resultado algum...o Singular fez toda a diferença no momento crítico pelo qual passei. Além dos profissionais competentes, o tratamento humanitário foi destaque durante o tratamento." Lea Más
  • Marcelo

    Marcelo

    "23 anos de dor lombar crônica. No começo de tudo a dor era insuportável, 24 hs por dia; nessa época já não esperava mais nada, era como mais uma consulta, mas foi através do tratamento de bloqueios e fármacos específicos Lea Más
  • Priscilla

    Priscilla

    "Confio plenamente em toda equipe que cuida de mim...estou evoluindo cada dia mais...minha vida não parou." Lea Más
  • Lucinda

    Lucinda

    Acho que nunca me acostumei com a dor, e saber que era possível me livrar dela me fez chegar até aqui, um lugar tão Singular, que certamente simbolizará um novo jeito de caminhar, um novo destino com projetos e possibilidades. Lea Más
  • Omar

    Omar

    DR CHARLES e DR FABRÍCIO dois Profissionais e dois seres humanos , sem palavras..... Lea Más
  • Marcelo

    Marcelo

    No início de 2013 comecei a sentir dores constantes na região cérvico-toráxica. Não sabia as causas e muito menos o diagnóstico para aquele incômodo muscular que passou a ser diário. Com o passar do tempo a dor começou aumentar de intensidade e de duração. Lea Más
  • Anderson

    Anderson

    É difícil mensurar minha satisfação atual, assim como era difícil suportar tanta dor e sofrimento pelo qual passei quando do início de meu tratamento junto à clínica singular, em especial pelo atendimento prestado pelo Dr. Charles. Lea Más
  • Gláucia

    Gláucia

    Procurei o Dr. Fabrício em decorrência de um pós operatório frustrado. Cheguei a primeira consulta totalmente fatigada, abaixo do meu peso, muita olheira por  noites mal dormidas e com uma grande expectativa quanto a solução para o alívio das dores Lea Más
  • Rodrigo

    Rodrigo

    Assim como o ano de 2016, o de 2017 para mim inicia-se com um enorme otimismo e as melhores expectativas possíveis! Todo esse otimismo está embasado no belíssimo papel que a Clínica SINGULAR desempenha em minha vida e na de Lea Más
  • Rosalva

    Rosalva

    Quero agradecer à toda equipe da Clínica Singular, todos, sem exceção, atenciosos, sempre presentes e muito gentis.  Em especial ao fisioterapeuta Rodrigo Vasconcelos que me auxiliou com exercícios e após conversar com o Dr. Rafael Barreto Silva  do Instituto da Lea Más
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8
  • 9
  • 10