• 1
  • 2
  • 3

Bienvenido a Singular.

Especialistas en Dolor a Su Servicio

Información

Conoce los Tipos de Dolor y Tratamientos

Blog Singular
  • Dores no quadril: o que pode ser?

    Dores no quadril: o que pode ser?

    Conviver com dores no quadril não é nada fácil, não é?! Responsável por uma articulação muito importante do aparelho locomotor, o quadril faz a conexão do nosso tronco com os membros inferiores e dada esta

  • Dores na região do pescoço: como lidar?

    Dores na região do pescoço: como lidar?

    Rotina de trabalho estressante, congestionamentos no trânsito, problemas e preocupações diárias. Posso apostar que você também já sentiu pulsar a tensão nos ombros e dores no pescoço após um dia cheio. É comum ter dores

  • O que é a fibromialgia e como tratar?

    O que é a fibromialgia e como tratar?

    A fibromialgia é uma doença silenciosa e não detectável em exames laboratoriais. Por causa disso, muitas vezes o portador sofre em dobro: além de sofrer com as dores em todo o corpo, também sofre com

  • 1

síndrome do instestino irritável

Intestíno irritável é um transtorno muito prevalente que acomete o intestino grosso. Há uma clara correlação com casos de dores crônicas. Muitos pacientes que se queixam de dores persistentes também apresentam intestino irritável. Em pacientes com fibromialgia, por exemplo, trata-se de um sintoma extremamente presente.

Os principais sintomas da Síndrome do intestino irritável são dor e desconforto abdominal, intestino preso ou diarreia, ou a alternância de ambos, inchaço, cólicas intestinais, excesso de gases e presença de muco nas fezes.

Apesar de não haver nenhum consenso quanto as causas para o transtorno, alguns fatores parecem desempenhar um papel importante, como:

  • alterações na coordenação das contrações dos músculos do intestino
  • alterações na parte do sistema nervoso que se relaciona com o sistema digestivo, levando a alterações na coordenação dos sinais entre cérebro e intestinos
  • processos inflamatórios
  • infecções bacterianas ou virais
  • mudanças nas bactérias presentes nas vísceras

Os três principais gatilhos para os sintomas são:

  1. alimentação: muitas pessoas apresentam piora dos sintomas após ingerir certos alimentos, como derivados do leite, frutas cítricas, grãos e bebidas gaseificadas
  2. estresse: em momentos de maior tensão, as pessoas com intestino irritável costumam ter seus sintomas piorados
  3. hormômios: as mulheres apresentam um risco duas vezes maior de apresentarem intestino irritável. Tal diferença na prevalência pode estar relacionada com o papel fundamental que os hormônios desempenham nesta condição. Muitas mulheres pioram durante o período menstrual

A maior parte dos sintomas da síndrome do intestino irritável pode ser controlada a partir de mudanças na dieta e no estilo de vida. Uma dica é fazer um registro dos alimentos ingeridos durante um período e buscar relacionar com possíveis mudanças nos sintomas.

Restringir o uso de alimentos que pioram os sintomas pode ser uma estratégia bastante efetiva. Derivados do leite, por exemplo, devem receber uma atenção especial. Por outro lado, consumir uma dieta rica em fibras e fluidos pode trazer muito mais bem-estar e diminuir os sintomas.

Outra estratégia que costuma ajudar muitos pacientes é a realização de atividades físicas regulares. Colocar o corpo em movimento parece ser uma ótima forma de promover uma maior coordenação dos movimentos intestinais.

Servicio de Alta Calidad

Equipo profesional especializado en dolor. Amplia experiencia en Brasil y en el extranjero. De modernas instalaciones y bien equipado. Entorno cuidadosamente planeado para máxima comodidad del paciente, desde las imágenes a las canciones.

  • Mari

    Mari

    "Já tinha consultado inúmeros médicos sem resultado algum...o Singular fez toda a diferença no momento crítico pelo qual passei. Além dos profissionais competentes, o tratamento humanitário foi destaque durante o tratamento." Lea Más
  • Marcelo

    Marcelo

    "23 anos de dor lombar crônica. No começo de tudo a dor era insuportável, 24 hs por dia; nessa época já não esperava mais nada, era como mais uma consulta, mas foi através do tratamento de bloqueios e fármacos específicos Lea Más
  • Priscilla

    Priscilla

    "Confio plenamente em toda equipe que cuida de mim...estou evoluindo cada dia mais...minha vida não parou." Lea Más
  • Lucinda

    Lucinda

    Acho que nunca me acostumei com a dor, e saber que era possível me livrar dela me fez chegar até aqui, um lugar tão Singular, que certamente simbolizará um novo jeito de caminhar, um novo destino com projetos e possibilidades. Lea Más
  • Omar

    Omar

    DR CHARLES e DR FABRÍCIO dois Profissionais e dois seres humanos , sem palavras..... Lea Más
  • Marcelo

    Marcelo

    No início de 2013 comecei a sentir dores constantes na região cérvico-toráxica. Não sabia as causas e muito menos o diagnóstico para aquele incômodo muscular que passou a ser diário. Com o passar do tempo a dor começou aumentar de intensidade e de duração. Lea Más
  • Anderson

    Anderson

    É difícil mensurar minha satisfação atual, assim como era difícil suportar tanta dor e sofrimento pelo qual passei quando do início de meu tratamento junto à clínica singular, em especial pelo atendimento prestado pelo Dr. Charles. Lea Más
  • Gláucia

    Gláucia

    Procurei o Dr. Fabrício em decorrência de um pós operatório frustrado. Cheguei a primeira consulta totalmente fatigada, abaixo do meu peso, muita olheira por  noites mal dormidas e com uma grande expectativa quanto a solução para o alívio das dores Lea Más
  • Rodrigo

    Rodrigo

    Assim como o ano de 2016, o de 2017 para mim inicia-se com um enorme otimismo e as melhores expectativas possíveis! Todo esse otimismo está embasado no belíssimo papel que a Clínica SINGULAR desempenha em minha vida e na de Lea Más
  • Rosalva

    Rosalva

    Quero agradecer à toda equipe da Clínica Singular, todos, sem exceção, atenciosos, sempre presentes e muito gentis.  Em especial ao fisioterapeuta Rodrigo Vasconcelos que me auxiliou com exercícios e após conversar com o Dr. Rafael Barreto Silva  do Instituto da Lea Más
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8
  • 9
  • 10